//Preenchi meu primeiro formulário do Plano Diretor de Peruíbe!

Preenchi meu primeiro formulário do Plano Diretor de Peruíbe!

   

Qualquer pessoa pode participar deixando sua opinião. Não precisa morar em Peruíbe. Os Turistas que da cidade usufruem também devem se manifestar 😀

Será que eu posso preencher outros? Será que eu quero? Desculpem minha sinceridade tantas vezes nua, crua e tão pouco delicada. Ainda aprendo a ser mais gentil (nesta vida espero).

Fiz vários printscreens dos resultados parciais da pesquisa que respondi e vou disponibilizar aqui. Em algum ponto pediram a minha opinião e eu coloquei o seguinte texto:

Recebi o convite e resolvi aceitá-lo.

Meio em dúvida sobre como dissociar os 12 assuntos entre sí, resolvi criar um único texto que pretendo colar em um ou em todos os formulários disponibilizados.

Entendo que os textos desenvolvidos nos planos diretores anteriores, por mais que mereçam atualização em alguns pontos, estão perfeitos. Não é bem de blá, blá, blá que estamos precisando após 10 anos de bons planos e poucas ações.

O que precisamos é encontrar caminhos para promover as ações. Ficar só revisando planos não nos levará onde queremos estar.

Comecei portanto já dizendo que a revisão necessária não é de planos, mas sim de estratégias melhores para colocar os planos em ação.

Vou tentar seguir a ordem alfabética proposta para outros comentários adicionais na intenção de que sirvam para nos inspirar a fazer práticas diferentes.

A assistência social é uma área que socorre a parte da sociedade que não conseguiu se virar sozinha. Provavelmente aquela parte que não tem acesso a cultura formal, apesar de criar sua cultura nos espaços em que vive. Em teoria, a assistência social nem deveria PRECISAR existir.

Desenvolvimento é uma questão de ponto de vista, para uns empregos, consumo, termoelétrica… para outros pomar, horta, vaquinha feliz, galinha solta, floresta intocada, mar saudável e água pura.

A educação formal caducou, morreu e esqueceram de enterrar. Não está servindo bem nem aos propósitos para o qual foi criada (ordem, obediência a hierarquia, submissão as regras, fabricação de servidores competentes para o mercado de trabalho)  com exceção da distração da vida livre, isso ela ainda vem conseguindo manter através da obrigatoriedade que transformou um direito em escravidão. Em tempos de Internet não vejo como segurar esta estrutura em pé, nem com reza brava.

Esporte para quem? Nem as escolas possuem mais quadras e professores equipados para despertar esta paixão nos baixinhos.

Habitação só para quem rouba os índios ou tem dinheiro para comprar de quem comprou do ladrão. O planeta inteiro parece que já tem dono(s).

Infraestrutura e meio ambiente não podem se criar e manter em pé sem considerar que somos todos UM, que precisamos ser educados para viver em sociedade, respeitando e aceitando o fato que todos deveriam ter os mesmos direitos (no mínimo os naturais, que já estavam na terra antes de nós e que agora estamos monopolizando alguns e destruindo outros, ou os mesmos).

Qualificação da gestão municipal é um ítem interessante. Aprender a gerir de tudo, desde a própria vida, as finanças, as relações, os afetos e seus opostos, as diferenças, as crenças, os pensamentos, sentimentos e ações… são em sí um conhecimento tão básico e necessário a vida em sociedade que não deveriam ser tirados do currículo para darem lugar a tantos outros conteúdos tão inúteis a vida prática cotidiana. Deveriam ser construídos juntamente com o ler, escrever e fazer contas.

Eleitores sabidos jamais elegeriam gestores pouco formados nas competências necessárias aos seus cargos. Mas, é verdade, ainda é tempo de salvar o barco adquirindo novos conhecimentos. Concordo!

Saúde significa o que neste contexto? Hospitais, médicos e remédios?

Me desculpe, mas quem é que ainda não sabe que para manter a saúde não adianta apenas tentar tratar de doenças?

Segurança? Que tipo de segurança? Para morrer basta estar vivo. Para viver em sociedade é preciso informação de qualidade, interação humana amoroza e disposição para viver em grupo. Para existir justiça é preciso respeitar a natureza. Quem são os bandidos e os mocinhos da história atual?

Turismo.

Não sei o que dizer sobre isso, vou me informar melhor. Andei muito ocupada tentando organizar a minha própria casa.

Vale ressaltar que não enxergo a população (de maneira geral) capaz de ler estes questionários longos, extremamente cansativos, com terminologia e conceitos não populares e muito menos preparada para entender/interpretar seus conteúdos.

Tampouco foi educada (em sua maioria) para acompanhar a execução das ações do poder público, muito menos para avaliar, criticar e sugerir soluções que considerem a diversidade como um presente a ser saboreado por todos.

Como dizem, estas consultas públicas não passam de processos para Inglês ver e achar bonito. Sem resultados práticos, muito menos efetivos.

Eu participei respondendo, afinal, o meu é só mais um ponto de vista.

Gratidão pela oportunidade.

 

Detalhe, tinha a opção de selecionar “Eu quero receber minhas respostas por e-mail”. Eu selecionei, mas não encontro o email aqui. Alguém recebeu o seu email com as respostas que preencheu?

Resultados parciais:

 

Participe você também:

Formulários para Consulta Pública

Participe também, através dos links abaixo, das Pesquisas On-Line para a revisão do Plano Diretor.

ASSISTÊNCIA SOCIAL

CULTURA

DESENVOLVIMENTO

EDUCAÇÃO

ESPORTE

HABITAÇÃO

INFRAESTRUTURA

MEIO AMBIENTE

QUALIFICAÇÃO DA GESTÃO MUNICIPAL

SAÚDE

SEGURANÇA

TURISMO

 

Tem mais informação interessante aqui: http://www.peruibe3.sp.gov.br/plano-diretor/